FURIA: “O Momento Exige Mudanças, e Elas Serão Feitas”, Diz Akkari

0
26

O co-proprietário e co-CEO da FURIA, André Akkari, comentou sobre o futuro do roster de Counter-Strike da organização após sua recente eliminação na fase de grupos da IEM Chengdu, reconhecendo pela terceira vez em três meses que uma solução é necessária para a situação.

“O momento da FURIA no CS exige mudanças, e elas serão feitas, da maneira mais inteligente e possível, e a curto prazo,” disse Akkari em uma postagem em X.

“Nunca fugimos das mudanças. Quando não acontecem, é por dois motivos: não queremos mudar, ou não é possível devido a datas, disponibilidade de mercado ou dinheiro. Nunca houve proteção para alguém. O que impediu as mudanças de acontecerem foram exclusivamente os motivos listados.”

A declaração de Akkari vem poucas horas após a eliminação da FURIA na fase de grupos da IEM Chengdu, onde a equipe estava a um round de se classificar para os playoffs, não conseguiu converter a vitória e sofreu derrotas para MOUZ e HEROIC para sair do torneio.

O resultado se soma a um começo ruim de ano para o elenco brasileiro repleto de estrelas, que foi eliminado na fase Play-in da IEM Katowice, enfrentou dificuldades contra a competição doméstica nas eliminatórias sul-americanas da IEM Dallas e não conseguiu se classificar para o BLAST Spring Showdown após falhas em duas eliminatórias europeias. O último resultado foi seguido por Akkari afirmando que a FURIA “buscaria as melhores soluções” para suas derrotas.

A equipe mostrou algum potencial indo para o PGL Major Copenhagen após uma corrida impecável no RMR das Américas, e apesar das derrotas em melhor de um para Lynn Vision e Legacy, a FURIA avançou pela fase de abertura do Major com três vitórias de 2-0.

No entanto, uma eliminação de 0-3 na fase de eliminação, incluindo uma derrota para ECSTATIC, rapidamente frustrou essa recuperação e provocou outra declaração de Akkari, onde ele agradeceu aos fãs “que pedem mudanças de maneira saudável ou apaixonada” e garantiu que eles estão “observando para ver o que acontece”.

A FURIA havia esperado que a adição de Gabriel “FalleN” Toledo e Marcelo “chelo” Cespedes em julho de 2023 pudesse elevá-los a candidatos consistentes ao título, mas, salvo por um troféu no Elisa Masters Espoo, a lineup brasileira continuou a lutar nos maiores torneios. As trocas de liderança entre FalleN e Andrei “arT” Piovezan também foram criticadas, enquanto preocupações sobre a equipe desperdiçar o auge de Kaike “KSCERATO” Cerato persistiram ao longo das mudanças, enquanto a FURIA continua em busca de uma solução.

Ao ser contatado pelo HLTV para mais detalhes sobre as declarações de Akkari, o co-CEO da FURIA, Jaime Padua, recusou-se a comentar com base na proteção da equipe e do staff, afirmando apenas que teriam “mais informações nos próximos dias”.

Deixe uma resposta